Artigos

O que você vê?

31/10/2016

O texto abaixo se trata de uma reflexão acerca da importância do investimento no ministério infantil para a saúde e crescimento de uma igreja local.

 

O que você vê? A resposta a essa pergunta define muito acerca da sua pessoa. Para o servo de Elias era apenas uma pequena nuvem, mas para o profeta era o cumprimento da promessa de chuva (1 Reis 18.41). Para o servo de Eliseu era um grande exército inimigo, mas para ele era um exército muito pequeno, comparado com o exército celestial que o cercava (2 Reis 6.15-16). Para Ezequiel era apenas um vale de ossos secos, mas para Deus era um poderoso exército avivado pelo Seu Espírito (Ezequiel 37.1-6).

E você, o que vê?

Quando observa as crianças que vive em sua casa, as que enchem as escolas, as que brincam na rua, as que correm e que fazem demasiado barulho? São apenas crianças? Crianças que precisam ser entretidas ou controladas? Ou será que consegue enxergar o que Deus enxerga, um poderoso exército de guerreiros espirituais.

Nelson Mandela disse que “o verdadeiro caráter de uma sociedade é revelada pela forma com que ela trata suas crianças”.

E nesse quesito temos nos empenhado ao máximo em “traduzir” as ministrações dos adultos, em toda a sua plenitude e profundidade, de uma forma inteligível e impactante para a vida de uma criança (o que, em geral, existe mais esforço teológico do que qualquer outra coisa). Fazemos tudo isso porque temos plena convicção do real valor que uma criança tem para o Reino de Deus.

Como resultado, temos inúmeros testemunhos de crianças que decidiram por Jesus Cristo e estão levando a mensagem de salvação para destro de suas casas. De alguma forma, nosso ministério tem marcado a vida dos pequenos ao ponto deles decidirem que dedicarão suas vidas a fazerem o mesmo que um dia foi feito a eles! Tudo isso é possível porque temos a consciência de que as crianças são a fonte para implementar a cultura do Reino de Deus na Terra. A porta para o sobrenatural será aberta quando aprendermos a ser como uma criança; elas são o modelo para a vida cristã cheia de poder e autoridade (Mateus 8.2-3).

Insisto na pergunta: o que você vê quando olha crianças tão jovens na igreja? Uma pequena nuvem ou o cumprimento da promessa? Ossos secos ou um exército? Se sua visão destoa da perspectiva enunciada anteriormente, é hora de ajustá-la! “Ninguém o despreze pelo fato de você ser jovem, mas seja um exemplo para os fiéis na palavra, no procedimento, no amor, na fé e na pureza” (1 Timóteo 4.12).

 

Nosso Site    /     Nosso Facebook   /      Nosso Canal no You Tube